piso é uma das escolhas principais da casa e a madeira é uma das opções favoritas. Mas, antes de aplicar um revestimento é necessário pensar em diversos aspectos antes de aplicar um revestimento – desde a estética até os cuidados e a manutenção.

 

Os tipos de piso

“Existem muitas espécies de madeira que são utilizadas na fabricação de pisos, as mais comuns são carvalho, cumaru, sucupira, ipê, jatobá, muiracatiara, tauari, e peroba”.

Os cinco tipos principais de piso:

  • Maciço, composto por réguas inteiras de madeira maciça;
  • Multistrato, composto por pequenos palitos cruzados de madeira maciça selecionados por cores. Esta técnica garante estabilidade na base do piso, evitando a abertura de frestas e empenamentos.
  • Multiestruturado, com uma estrutura composta de lâminas torneadas de madeiras tropicais e de reflorestamento cruzadas entre si como base. Essa estrutura é revestida com capa de madeira nobre e recebe camadas de verniz e aplicação de óxido de alumínio. Nele, a resistência é alta e a proteção e o brilho são maiores.
  • Multilaminado, que tem como base uma estrutura composta de lâminas torneadas de madeiras tropicais e de reflorestamento cruzadas entre si, revestidas com capa de madeira nobre menos espessa (não possibilita a revitalização).
  • Deck, inteiramente maciço e recomendado para áreas externas.

Como escolher

Assim como há diversas espécies de madeira, as opções no mercado são muitas e alguns produtos têm certas variações de tamanho, espessura, largura, aplicação, fixação e até de fabricação.

“Para escolher o melhor tipo e o tamanho é preciso, antes de mais nada, analisar se o produto ficará em todos os ambientes ou em apenas alguns espaços. Preste atenção quanto à questão da circulação de pessoas e se a área que vai receber o piso tem contato diário com água”.

“A escolha pode ser feita com relação a dureza de cada espécie. Se for uma área de alto tráfego é indicado um piso mais escuro, de Sucupira, por exemplo. Porém, o único produto recomendado para áreas molhadas e externas é o deck, pois tem mais resistência à água e à grande circulação”, completa.

Na hora da escolha, vale a regra: quanto mais clara a madeira, mais macia. Quanto mais escura, mais dura.

Cuidados

Banheiro, cozinha e área externa são ambientes que exigem maior cuidado, com o revestimento, especialmente quando falamos de madeira. “Como os pisos de madeira não devem ser lavados, pois o excesso de umidade prejudica a aparência e durabilidade do produto, nós não os recomendamos para esses ambientes”.

Em áreas externas, o deck é a única indicação.

Manutenção

Durante a limpeza dos pisos de madeira, prefira uma vassoura de cerdas macias ou um pano levemente umedecido. A limpeza pode ser feita diariamente, mas o revestimento nunca deve ser encerado. “A manutenção dos decks vai depender do tipo de acabamento. Quando for a óleo, a cada três meses. Se o acabamento for no verniz, a cada seis meses”.

Quanto à durabilidade, um piso bem cuidado deve durar de 20 a 30 anos. Vale também perguntar sobre as opções de revitalização e raspagem, que podem ser feitas (dependendo do tipo e do fabricante) antes de uma substituição.

“Recomendamos deixar sempre um carpete na entrada para evitar que a sujeira nos sapatos risque o piso, evitar cadeiras de rodinhas, malas e arrastar móveis”, diz. A Indusparquet também recomenda, para garantir uma durabilidade mais longa, o uso de produtos das marcas Skania e Blanchon.

Fungos e bactérias

“O tratamento e secagem adequados da madeira na fabricação eliminam o ataque de animais xilófagos. Porém, depois de instalado, se houver fungos principalmente por causa da umidade, as réguas começam a descolar, as madeiras mais claras ficam escuras e pequenos furos podem ser notados no piso”.  Para evitar o aparecimento de fungos, bactérias e outros, lembre-se de nunca encerar o piso de madeira. Quando o assunto é o deck, ele nunca deve ser coberto com plástico ou com algum produto que não deixe o piso respirar.

 
 

Adaptado de: https://casaclaudia.abril.com.br/materiais-construcao/guia-como-escolher-o-piso-de-madeira-ideal/ (Acesso em 12/2020)